(Tempo de Leitura: 8 min.)

Para muitos negócios e organizações, proteger informações sensíveis de eventuais riscos tornou-se uma prioridade. Para alguns, a gestão de ativos e riscos de informação é uma ocupação em tempo integral. Seja qual for o caso, para manter uma operação rentável, competitiva e confiável frente ao mercado, é preciso dominar os temas, quem deve ser tratados com grande seriedade.

Os crescentes desafios em relação à proteção de dados e à Segurança da Informação mostram o quanto é essencial implantar e monitorar, continuamente, uma estratégia de gestão robusta e eficaz, focada na mitigação de riscos com base nos ativos de informação. Nesse cenário, fica claro o quanto a Gestão de Riscos de Segurança da Informação é essencial, pois ajuda a reduzir as chances de um eventual incidente e de impactos que possam afetar negativamente a operação.

Não é incomum ler notícias sobre paralisação de operações devido a incidentes como sequestros de dados e sistemas (ransomware), ataques de negação de serviço (DDoS) e tantos outros, todos evitáveis se os riscos existentes fossem conhecidos. Tudo isso pode ser sido evitado por meio da identificação, avaliação e priorização de riscos, ações que devem ser coordenadas por meio do desenvolvimento e implementação de planos e programas para identificar, monitorar, minimizar e controlar tais riscos.

Neste artigo, vamos falar sobre riscos de informação, a importância de programas de Gestão de Riscos de Segurança da Informação e como eles podem impactar positivamente sua operação. Continue lendo o artigo e saiba mais!

Conceito

É quase impossível ouvir falar em gestão de riscos e não pensar em Gestão de Risco Empresarial (ERM – Enterprise Risk Management), ou nos princípios de Gestão de Risco, conforme pautado pela norma ISO 31000, uma discussão muito maior que a pauta de hoje.

Em resumo, e de acordo com a certificadora, a norma apresenta “diretrizes sobre o gerenciamento de riscos enfrentados pelas organizações, cuja aplicação pode ser personalizada para qualquer organização e seu contexto. Ela fornece uma abordagem comum para gerenciar qualquer tipo de risco, não sendo específica a nenhuma indústria ou setor, sendo aplicável a qualquer atividade, incluindo a tomada de decisão em todos os níveis.

Parece que ela se aplica a praticamente qualquer situação e, ao mesmo tempo, soa muito ampla (porque é mesmo). Mas nosso foco não é a gestão de risco operacional como um todo, e sim a Gestão de Riscos de Segurança da Informação, com foco em controles e riscos que afetam ativos críticos essenciais à operação de qualquer organização atualmente: ativos de informação.

E é claro que, para isso, também há uma norma. Nesse caso é a ISO 27005, que pauta os princípios para a Gestão de Riscos de Segurança da Informação (ISRM – Information Security Risk Management). É uma norma da família ISO/IEC 27000 (Sistemas de Gestão de Segurança da Informação) que apresenta uma abordagem sistemática concentrada no gerenciamento de riscos para ativos de informação, sendo crucial para qualquer organização que conte com tecnologia e sistemas de informação para dar suporte a seus processos.

Apesar de parecerem estar contidas uma na outra, não há uma relação de dependência ou interação entre as normas. No entanto, elas são complementares, pois as normas da família ISO/IEC 27000 como a ISO 27001, que é baseada em princípios de gestão de risco, estão em conformidade com a norma ISO 31000, mais abrangente.

Gestão de Riscos

A gestão de riscos é uma função essencial para as organizações, pois ajuda a garantir a sobrevivência e o sucesso da empresa. A identificação e gestão de riscos podem ajudar as organizações a minimizar o potencial impacto de eventos que possam afetar negativamente a empresa. Isso pode incluir desde perdas financeiras até danos à reputação, podendo resultar no fracasso total da organização.

Os princípios e diretrizes para Gestão de Riscos da ISO 31000 visam permitir que a organização seja capaz de identificar, avaliar e reagir às oportunidades e ameaças, além de melhorar sua eficiência operacional por meio de uma gestão de riscos proativa.

A gestão de riscos eficaz também pode ajudar as organizações a identificar e aproveitar as oportunidades que possam surgir. Ao identificar e gerenciar riscos, as organizações podem aproveitar oportunidades que, de outra forma, passariam despercebidas. Isso pode levar a uma maior competitividade, maiores lucros e sucesso a longo prazo.

Outro benefício da Gestão de Riscos é que ela ajuda as organizações a cumprir leis, regulamentos e padrões. Muitas indústrias e países têm regulamentos e padrões que devem ser seguidos para garantir a segurança de seus clientes e das partes interessadas, alguns deles praticamente essenciais em termos comerciais. A gestão de riscos eficaz pode ajudar as organizações a cumprir esses regulamentos e padrões, evitando multas dispendiosas, sansões comerciais e ações legais.

Gestão de Riscos de Informação

Se dados são o novo petróleo, qual o formato do barril? Ele pode existir na forma de um arquivo digital, das credenciais de um usuário ou de uma pasta suspensa em um armário enferrujado. Pode até não ter forma física e ser apenas um controle, uma resposta, um status de “sim” ou “não”.

Basicamente, um ativo de informação é uma unidade de informação que pode ser compreendida, compartilhada, protegida e utilizada de forma eficiente, cujo valor, risco, conteúdo e ciclo de vida devem ser reconhecíveis e gerenciáveis. O novo “barril”, que carrega o “petróleo”, é o ativo de informação que contém o dado a ser protegido, na forma que for e exposto a todo tipo de risco que nosso mundo pode oferecer.

Existem vários tipos de riscos aos ativos de informação, incluindo o risco de não conformidade com os regulamentos legais, riscos de tecnologia centrados em segurança cibernética e manutenção de sistemas, violações de dados (externas e internas), riscos de gerenciamento e fornecimento de treinamento adequado e, até mesmo, risco de desastres naturais ou de eventos causados ​​por humanos.

Muitas vezes, as organizações identificam riscos às informações, mas não adotam a avaliação apropriada dos riscos ou as etapas de mitigação para combatê-los, mas o planejamento de riscos de ativos de informação é uma atividade chave de programas de governança e proteção de dados. Na verdade, grande parte das ações de governança tratam da Gestão de Riscos de Segurança da Informação e, muitas vezes, a análise de riscos de informação é uma obrigação regulatória.

Gestão de Riscos de Segurança da Informação

Gestão de Riscos de Segurança da Informação é uma área especializada da gestão de riscos que se concentra no gerenciamento de riscos que possam afetar ativos de informação, tais como dados e sistemas de software. Essa área é crucial para as organizações, pois elas dependem fortemente de tecnologia e sistemas de informação para dar suporte a seus processos e operações de negócios.

A norma ISO 27005 fornece uma abordagem abrangente e diretrizes para a implementação de processos para a Gestão de Riscos de Segurança da Informação, amplamente reconhecidos e utilizados por organizações em todo o mundo. Estabelece um conjunto de controles para gerenciar riscos de Segurança da Informação, fornecendo diretrizes e processos específicos para a implementação de um plano de Gestão de Riscos de Segurança da Informação.

A norma fornece uma abordagem sistemática e estruturada para gerenciar riscos de maneira consistente e eficaz, com controles divididos nas seguintes áreas principais:

Avaliação de risco: Processo de identificação, análise e avaliação dos riscos que possam afetar ativos de informação da organização. Isso inclui identificar os riscos potenciais e a probabilidade de ocorrência desses riscos, bem como seu impacto potencial.

Tratamento de riscos: Processo de desenvolvimento de planos para minimizar, monitorar e controlar os riscos aos ativos de informação. Isso pode envolver a implementação de controles para reduzir a probabilidade de ocorrência de riscos ou para minimizar o impacto potencial desses riscos.

Estrutura de gerenciamento de riscos: Abordagem geral para gerenciar os riscos de segurança da informação, incluindo políticas, procedimentos e diretrizes. Essa estrutura fornece uma abordagem consistente e eficaz para gerenciar os riscos de segurança da informação e garante que todas as partes interessadas estejam cientes da importância da segurança da informação.

Monitoramento e revisão: Processo de revisar e monitorar regularmente o processo de gerenciamento de riscos para garantir que ele permaneça eficaz e seja continuamente aprimorado.

Gestão de Riscos Estruturada

A Gestão de Riscos de Informação é importante para as organizações pois ajuda a garantir que as informações sensíveis sejam protegidas, reduzindo o risco de vazamentos de dados. Ao seguir as etapas básicas da Gestão de Riscos de Segurança da Informação, as organizações podem proteger melhor seus ativos de informação, reduzir o risco de perda financeira e manter a confidencialidade, integridade e disponibilidade das informações.

Como você deve imaginar, não é fácil controlar todos esses processos e informações. Afinal, estamos falando de processos pontuais e dinâmicos que não favorecem a rastreabilidade, definição de workflows, nem mesmo de follow-ups sobre os processos e projetos. Nesse cenário, o uso de ferramentas especializadas pode otimizar drasticamente a operação de equipes de Segurança da Informação.

Sabemos que muitas organizações utilizam diversas ferramentas de gestão, monitoramento, análise e coleta de dados. Desde a correção de vulnerabilidades na infraestrutura até ferramentas de Service Desk, são inúmeras as ferramentas focadas em Segurança da Informação. Com isso em mente, equipes especializadas utilizam automação e integrações entre ferramentas para obter real visibilidade dos riscos e ameaças, criando conexões entre os dados de sistemas e produtos de fabricantes distintos, com as mais variadas funcionalidades.

Entre estas equipes, muitas utilizam plataformas como o GAT Core para centralizar e consolidar os dados de fontes diversas, e com diferentes enfoques, criando processos aderentes ao contexto de negócio. O objetivo é criar uma operação centralizada de Gestão de Riscos em Segurança da Informação, onde todos os processos são realizados com base na visão consolidada, propiciada por tais integrações.

Integração e Automação como Aliadas

Nas organizações que investem em Segurança da Informação, há uma tendência entre as equipes de alto desempenho, que demonstram melhores resultados ao fazer uso extensivo de automação e integração entre ferramentas para melhor executar suas funções, trazendo uma melhora perceptível na otimização dos processos e diminuição de exposição a riscos, além de uma considerável redução de custos.

Uma das formas mais eficazes de manter um alto nível de eficiência é por meio do uso de uma plataforma centralizadora como o GAT Core, que conta com alto nível de automação e gerencia toda a operação de governança e Gestão de Riscos em Segurança da Informação em um só lugar. A plataforma já traz embarcados os checklists dos principais frameworks de regulação e Segurança da Informação, agilizando e otimizando os programas de Gestão de Riscos em Segurança da Informação, sendo uma grande aliada nos processos de governança.

Da mesma forma que o departamento comercial utiliza uma plataforma de CRM, ou que diversas equipes utilizam um ERP, o GAT Core tornou-se a principal plataforma de Gestão de Riscos em Segurança da Informação utilizada por equipes de gestão, compliance e Segurança da Informação em nossos clientes. Ao mesmo tempo em que as equipes utilizam a plataforma para a gestão de seus processos, o GAT Core também funciona como um cockpit do C-Level, trazendo dashboards e indicadores claros que auxiliam nos processos de gestão.

A plataforma também traz a bordo os principais checklists de conformidade em Segurança da Informação e proteção de dados, tais como CIS Controls, NIST Cybersecurity Framework, OWASP ASVS, ISO 27701, LGPD e outros, facilitando os processos e gerando uma economia significativa de tempo e recursos.

Por meio de integrações nativas, é possível importar informações vindas de diversas ferramentas, garantindo consistência e orquestração eficiente de dados, com métricas de evolução, economia de tempo e precisão. O GAT Core possui integrações com as principais ferramentas de Segurança da Informação no mercado, tais como BugHunt, Tenable Nessus, Tenable.io, Burp Suite, Qualys, OpenVAS, InsightVM, Arachni, Have I Been Pwned?, Jira Service Desk e o GAT Security Score, entre tantas outras que podem ser integradas com a plataforma por meio da arquitetura de API aberta (OAS – OpenAPI Specification). Toda a equipe pode ter acesso aos dados críticos sobre riscos e vulnerabilidades, permitindo que diferentes departamentos utilizem uma única plataforma para realizar a centralização de dados e a orquestração de processos, diminuindo custos e otimizando processos.

Para entender como funciona, agende uma demonstração gratuita para obter uma visão integrada da Gestão de Riscos em Segurança da Informação. Agilize os processos de gestão e conformidade centralizando todas as tarefas do seu programa de segurança em uma única plataforma com alto nível de automação — um avanço e tanto em relação às planilhas.

Você também pode curtir isso:

Av. Angélica, 2582 – 2° Andar
Bela Vista – São Paulo/SP
CEP 01228-200
+55 (11) 4395-1322
contato@gatinfosec.com

Siga-Nos