(Tempo de Leitura: 5 min.)

Na primeira parte deste artigo, explicamos o conceito de CAASM (Gerenciamento da Superfície de Ataque de Ativos Cibernéticos), seus diferenciais e os pontos de distinção entre ele e as outras categorias: EASM (Gerenciamento de Superfície de Ataque Externo) e DRPS (Serviços de Proteção de Risco Digital). Hoje, nos aprofundaremos nas aplicações práticas do CAASM e como elas impactam positivamente as organizações.

Boa leitura!

O CAASM surgiu para transformar a gestão de ativos cibernéticos, porque permite uma visão abrangente e automatizada dos recursos de uma organização em um único local. Por meio da integração com diversos produtos, ele agrega informações sobre endpoints, servidores, dispositivos etc., eliminando a necessidade de coletar dados manualmente, o que é um avanço relevante e útil.

Se você ainda tem dúvidas se o CAASM é vantajoso para o seu negócio, saiba que estamos falando de uma tecnologia escalável, que pode ser adaptada às necessidades de qualquer organização, fornecendo insights valiosos para fortalecer a postura de segurança da sua empresa e facilitando a gestão e o monitoramento de ativos cibernéticos.

Quais são os principais componentes do CAASM?

Isso quer dizer que o CAASM permite que as equipes de segurança melhorem a higiene básica de segurança, que a empresa aumente a visibilidade para todos ou quase todos ativos de informação existentes e garanta a cobertura das ferramentas de segurança e que, além disso, tenha um suporte eficiente para processos de ASM (Gerenciamento de Superfície de Ataque) e para a correção dos sistemas operacionais e serviços.

Para exemplificar melhor, a seguir elencamos suas principais aplicações. Confira:

Descoberta de ativos 

A solução descobre e cataloga todos os ativos internos e externos da organização, incluindo endereços IPs, aplicações, sistemas locais, baseados em nuvem e/ou remotos. Normalmente, o levantamento externo é baseado nos domínios de internet relacionados à empresa (exemplo: xyz.com.br) e o levantamento interno pode ser feito automaticamente pela própria solução ou por meio de integração com ferramentas IT ou segurança existentes, como CMDB ou scanners de vulnerabilidade. 

Clique aqui para descobrir sua superfície de ataque agora!


Classificação de impacto ao negócio e riscos

Ao avaliar e classificar a criticidade dos ativos identificados e agrupá-los com base no impacto ao negócio (BIA – Business Impact Analysis), bem como o grau de risco das vulnerabilidades identificadas, esse tipo de gerenciamento ajuda as organizações a priorizarem seus esforços de remediação, assegurando que os riscos mais importantes do ponto de vista do negócio sejam priorizados e corrigidos e os significativos sejam abordados primeiro.

Avaliação de vulnerabilidade 

Com o CAASM, a empresa obtém dados de ativos que ajudam as equipes de segurança a identificarem vulnerabilidades, configurações incorretas e outros riscos potenciais, englobando a análise de versões de software, níveis de patch e configurações em busca de pontos fracos conhecidos que possam ser explorados por cibercriminosos

Integração com outras ferramentas 

Com a finalidade de aumentar a visibilidade dos ativos, os sistemas CAASM são projetados para se integrarem a outras ferramentas e infraestruturas de segurança, como soluções de EASM e scanners de vulnerabilidades

Monitoramento contínuo 

O monitoramento é feito continuamente para detectar mudanças e novas vulnerabilidades. Essa visibilidade em tempo real permite que as equipes de segurança identifiquem e corrijam rapidamente ameaças emergentes.

Remediação e mitigação 

A plataforma fornece insights e recomendações para lidar com vulnerabilidades e configurações incorretas identificadas, o que inclui implementação automatizada de patches, ajustes de configuração ou outras medidas de segurança.

Relatórios e análises 

É possível acompanhar a postura de segurança da empresa ao longo do tempo, porque as soluções CAASM fazem relatórios e análises que medem a eficiência dos esforços de segurança, o que também demonstra comprometimento com os requisitos regulatórios.

6 práticas indispensáveis para implementar o CAASM

O CAASM é uma ferramenta poderosa, no entanto, para que ela seja implementada de forma eficiente, é necessário estruturar um planejamento minucioso e ter atenção aos detalhes. Na sequência, você encontrará uma visão abrangente das práticas recomendadas para garantir que a solução atenda às necessidades e aos objetivos da sua organização:

  1.     Estabeleça métricas 

Definir objetivos claros é fundamental no momento da implantação do CAASM. Caso a sua empresa tenha a necessidade de aprimorar a visibilidade de ativos cibernéticos, a solução deve se concentrar na descoberta avançada de ativos e monitoramento em tempo real. Mas, se a prioridade for a redução de riscos, uma solução de gerenciamento de vulnerabilidades, inteligência de ameaças e correção automatizada é mais efetiva. Objetivos definidos ajudam na tomada de decisão e permitem medir a eficácia da solução pós-implementação.

  1.     Considere diferentes soluções

Ao avaliar diferentes soluções CAASM, analise alguns pontos, como: recursos e funcionalidades de cada opção, alinhamento com os objetivos, possibilidade de integração com as ferramentas existentes na empresa, escalabilidade para acomodar o crescimento da base de ativos e possibilidade de personalização para adaptar a solução aos requisitos exclusivos.

Considere também a reputação, a qualidade do atendimento, e o idioma de suporte do fornecedor, escolhendo aquele com histórico sólido em segurança cibernética para garantir atualizações confiáveis. Por fim, avalie o custo e o retorno do investimento, comparando o custo total de aquisição, como modelo de licenciamento, implementação e despesas contínuas de manutenção com os benefícios esperados, como redução de exposição ao risco e eficiência operacional em segurança.

  1.     Integre o CAASM a outras ferramentas

Para garantir uma visibilidade ampla e eficiente dos ativos, é indispensável escolher uma ferramenta CAASM que se integre perfeitamente com uma ampla gama de fontes de dados, incluindo:

  •       EPP (Plataformas de Proteção de Endpoint)
  •       Sistemas de Gerenciamento de Endpoint e Configuração
  •       Active Directory da Microsoft
  •       Soluções de Varredura e Gerenciamento de Vulnerabilidades
  •       Ferramentas de EASM
  1.     Reúna as equipes

Para assegurar uma implementação bem-sucedida do CAASM, é fundamental envolver as principais partes interessadas de diferentes equipes responsáveis por cada estágio do ciclo de vida dos ativos. Este processo abrange a colaboração estreita com equipes de descoberta de ativos, que desempenham um papel crucial na identificação e catalogação inicial dos ativos cibernéticos, por exemplo. A integração com as equipes de monitoramento em tempo real também é muito importante, pois garantirá que as soluções CAASM estejam alinhadas com as estratégias de detecção e resposta a incidentes em tempo real.

  1.     Centralize os dados de ativos

A consolidação de dados é importante para criar um inventário abrangente e constantemente atualizado de ativos. Esse processo envolve a coleta e a integração de informações provenientes de sistemas de descoberta de ativos, inventários existentes, registros de configuração e outros bancos de dados relevantes. 

  1.   Priorize as correções dos riscos e vulnerabilidades

Como os riscos podem impactar o seu negócio? Quais causariam mais prejuízos?

Esses questionamentos devem ser feitos para que a organização se concentre nos ativos, assim como nas vulnerabilidades que possam causar o maior impacto nas operações e na reputação da marca. Portanto, a gestão de vulnerabilidades baseada em risco é essencial para alocar recursos e esforços de forma eficaz, sendo uma estratégia assertiva e inteligente que deve ser sempre considerada.

Esteja um passo à frente!

É possível fazer a medição da eficiência do CAASM rastreando vários KPIs (Indicadores-Chave de Desempenho) e métricas, que por sua vez fornecem informações importantes sobre o desempenho do programa e auxiliam na identificação de pontos que devem ser otimizados. 

Agora você já sabe que diante da crescente complexidade da superfície de ataque moderna, o CAASM emerge como uma evolução essencial, que permite transpor os desafios de visibilidade de ativos e gestão de segurança com eficácia e adaptabilidade.

Quer saber mais sobre as soluções da GAT InfoSec e como elas podem proporcionar visão, controle e automação para proteger os ativos de sua operação, clientes e parceiros comerciais? Entre em contato!

Você também pode curtir isso:

Av. Angélica, 2582 – 2° Andar
Bela Vista – São Paulo/SP
CEP 01228-200
+55 (11) 4395-1322
contato@gatinfosec.com

Siga-Nos

×