(Tempo de Leitura: 7 min.)

Ferramentas de Segurança da Informação estão entre as diversas inovações que a Revolução Digital, também conhecida como a Terceira Revolução Industrial, trouxe para a operação de diversas organizações. Entretanto, uma preocupação constante surgiu com elas: como garantir a proteção das informações envolvidas nos processos operacionais?

Este gerenciamento de informações pode criar problemas pois, caso os dados (da empresa, seus clientes e terceiros) sejam armazenados de modo errado, estes podem ser comprometidos por invasões, vazamentos ou outros tipos de incidentes cibernéticos. Logo se vê a importância de contar com ferramentas de Segurança da Informação no dia a dia da operação, para um gerenciamento de riscos mais eficaz.

Já pensou em como manter os seus dados e os de seus clientes seguros contra invasões, ataques e outros incidentes cibernéticos? Existem diversas ferramentas de Segurança da Informação que podem auxiliar uma empresa nessa tarefa árdua e nós separamos algumas para te auxiliar nessa missão. Confira abaixo quais são elas!

Os 5 pilares da Segurança da Informação

Antes de partirmos para as dicas e a importância das ferramentas de Segurança de Informação, é preciso entender as bases desse conceito, sobre as quais todas elas estão apoiadas. Para isso, precisamos falar rapidamente sobre os 5 pilares da Segurança da Informação. Se quiser saber mais sobre o assunto, acesse o artigo em nosso blog.

1. Confidencialidade

confidencialidade é o primeiro pilar da Segurança da Informação, pois garante que os dados estejam acessíveis a determinados usuários e protegidos contra pessoas não autorizadas. É um componente essencial da privacidade, que se aplica especialmente a dados pessoais, sensíveis, como dados financeiros, relacionados à saúde e outras informações sigilosas. Medidas de proteção como controle de acesso, criptografia e senhas fortes, entre outras estratégias são formas de manter a confidencialidade dos dados.

2. Integridade

integridade na Segurança da Informação diz respeito à preservação, precisão, consistência e confiabilidade dos dados durante todo o seu ciclo de vida. Para isso, há uma série de mecanismos de controle para evitar que as informações sejam alteradas ou deletadas por pessoas não autorizadas.

3. Disponibilidade

Para que um sistema de informação seja útil, é fundamental que seus dados estejam disponíveis sempre que necessário. Logo, a disponibilidade é mais um pilar da segurança da informação, que garante o acesso em tempo integral (24/7) pelos usuários finais. Para isso, é necessário garantir a estabilidade e acesso permanente às informações dos sistemas, por meio de processos de manutenção rápidos, eliminação de falhas de software, atualizações constantes e planos para administração de crises.

4. Autenticidade

autenticidade é o pilar que valida a autorização do usuário para acessar, transmitir e receber determinadas informações. Seus mecanismos básicos são logins e senhas, mas também podem ser utilizados recursos como a autenticação biométrica, por exemplo. Esse pilar confirma a identidade dos usuários antes de liberar o acesso aos sistemas e recursos, garantindo que não se passem por terceiros. 

5. Irretratabilidade

Esse pilar garante que uma pessoa ou entidade não possa negar a autoria da informação fornecida, como no caso do uso de certificados digitais para transações online e assinatura de documentos eletrônicos. Na gestão da segurança da informação, isso significa ser capaz de provar o que foi feito, quem fez e quando fez em um sistema, impossibilitando a negação das ações dos usuários. 

Agora é hora de salientarmos sobre a importância dessas ferramentas de segurança no dia a dia empresarial.

A importância de usar ferramentas de Segurança da Informação

A junção de processos, ferramentas de segurança, processos e sistemas de proteção de dados fazem com que uma empresa atue de forma mais segura, reduzindo os riscos de ataques cibernéticos e preservando todas as informações importantes para ela, seus clientes e parceiros. Projetos, dados de clientes, mensagens trocadas entre setores, contratos, e outros tipos de dados e informações sensíveis devem ser tratados de forma a não cair nas mãos de pessoas mal intencionadas.

Impedir que isso aconteça é o papel das ferramentas de Segurança da Informação, e um dos motivos porque estas são de extrema importância. Com um conjunto de boas práticas que veremos a seguir, você reduz (ou até impede) as chances de exposição indevida das informações e dados da sua empresa, clientes e parceiros.

Em resumo, a importância da Segurança da Informação está associada a todas as questões relacionadas à proteção dos dados da organização, à gestão de riscos operacionais e à redução de problemas associados a incidentes como ransomware, vazamentos de dados e interrupção das operações.

As 5 principais ferramentas de Segurança da Informação para utilizar na sua empresa

Diante de todo esse cenário, se faz mais do que necessário o investimento por parte dos gestores em ferramentas de Segurança da Informação que possam tornar o ambiente digital mais seguro. Possuir uma política de segurança é indispensável para que empresas não enfrentem prejuízos financeiros, à imagem da marca e à operação, além de consequências judiciais relacionadas ao comprometimento de seus sistemas. 

Além de frameworks de Segurança da Informação que devem servir como orientação para as boas práticas de gestão e governança, existem plataformas integradas que melhoram a produtividade, otimizando o tempo e a operação. Nesse sentido, a empresa pode investir em ferramentas de Segurança da Informação e, assim, tornar a sua infraestrutura mais confiável.

Se você está em dúvida sobre quais são as opções mais recomendadas, veja a nossa lista abaixo!

Firewall

A migração para o cloud computing, tal qual outras rotinas de sistemas integrados à web, exige a necessidade de ter conexões de rede, com alto padrão de operação. Assim, é preciso que as organizações busquem técnicas que permitam a otimização da sua infraestrutura constantemente. 

Nesse contexto, o firewall  atua monitorando as requisições, em que apenas os dados permitidos, nas regras definidas anteriormente, poderão trafegar. Ou seja, se uma conexão de entrada não corresponder a uma solicitação de dentro da rede, o acesso será negado. Isso evita ataques externos, aumenta a confiabilidade da rede corporativa e auxilia na produtividade em trabalhos remotos. 

Sistemas de gestão e governança

Esses sistemas são ferramentas de Segurança da Informação que auxiliam na realização da análise de vulnerabilidade dos sistemas e no controle dos processos relacionados à Segurança da Informação dentro de uma empresa. Além de monitorar a exposição à Internet pública, também podem fazer varreduras na infraestrutura interna, a fim de garantir que possíveis ameaças sejam verificadas com antecedência.

Dessa forma, bugs e vulnerabilidade que tentam invadir a rede, por exemplo, podem ser eliminados antes de causar qualquer dano. Além de garantir a segurança, ao evitar que possíveis falhas ocorram, a produtividade da equipe se mantém estável, favorecendo o fluxo de trabalho sem interrupções.

Assim, o investimento em sistemas de monitoramento e controle é facilmente justificável a partir do ponto em que estes auxiliam na análise de riscos e vulnerabilidades. Aqui na GAT InfoSec, por exemplo, desenvolvemos plataformas integradas focadas tanto em análise de risco cibernético e gerenciamento da superfície de ataque (GAT Security Score) quanto gestão de vulnerabilidades e conformidade em Segurança da Informação (GAT Core), para que sua empresa possa avaliar como cada uma dessas vulnerabilidades representa um risco que pode impactar sua operação.

Soluções Endpoint (EDR – Endpoint Detection and Response)

Focadas no monitoramento constante, a tecnologia Endpoint Detection and Response (EDR) tem a finalidade de detectar ameaças cibernéticas. Tais ferramentas conseguem analisar qualquer terminal via software, seja um notebook, desktop, smartphone ou tablet. 

Além do EDR fazer o registro das atividades, possui mecanismos de análise que criam regras para encontrar possíveis vetores de ataque utilizados em cibercrimes, armazenando os dados para uma resposta adequada durante o gerenciamento. Os controles com esses sistemas são feitos de forma preventiva, garantindo que nenhum comportamento suspeito seja descartado.   

Esse é um tipo de DLP (Data Loss Prevetion), sistema com um conjunto de soluções usado para proteger dados confidenciais extremamente eficazes. Ele garante que informações sigilosas não sejam acessadas, roubadas ou perdidas para finalidades fraudulentas no ambiente web. 

Criptografia e protocolos de segurança

Dois pontos fundamentais em relação às ferramentas de Segurança da Informação são a criptografia e os protocolos de segurança.

A criptografia é um recurso que reforça o sigilo das informações. Por meio de um algoritmo, as informações são codificadas, impedindo que terceiros possam ler as mensagens, se não forem os destinatários finais. Entre os diferentes tipos, a criptografia ponta a ponta, ou seja, que protege tanto o emissor quanto o receptor, é usada na maioria dos serviços digitais, tais como e-mail e aplicativos de trocas de mensagens. 

Todo esse tráfego ocorre em diferentes camadas de tecnologia, onde entram os protocolos de segurança. Eles são recursos nativos dos sistemas computacionais e de navegação da Internet e servem como canais de comunicação entre hardware e software, cada um com sua finalidade específica. Alguns exemplos são:

  • SMTP: protege os serviços de e-mail;
  • HTTPS: protege a navegação nos sites da internet;
  • PPP: protege telefones celulares e as redes móveis.

Bug Bounty

O Bug Bounty aplica o princípio do crowdsourcing à segurança cibernética: mobiliza uma comunidade de especialistas, testa um escopo e recompensa esses especialistas por cada vulnerabilidade descoberta, de acordo com a gravidade da vulnerabilidade e a qualidade do relatório fornecido.

O Bug Bounty transforma a postura de segurança cibernética das organizações, reunindo eficácia, agilidade e ROI de segurança. Uma plataforma de Bug Bounty, como a de nossos parceiros da Bug Hunt, permite que uma organização envie um programa de recompensas por bug para uma comunidade de especialistas. A partir disso, hackers éticos buscam e relatam as vulnerabilidades detectadas neste programa.

Milhares de pessoas talentosas – bughunters, funcionários e membros da comunidade –  dedicam-se a um propósito: democratizar o acesso à Segurança da Informação e, assim, tornar a Internet um lugar mais seguro.

Integração de ferramentas para uma gestão de riscos estruturada

Com as ferramentas de Segurança da Informação em prática, as empresas podem operar com mais segurança, garantindo a continuidade e a consistência dos seus processos. Não existe a melhor ou a pior ferramenta. Existe um conjunto de ferramentas que devem ser usadas no momento certo do seu negócio. Algumas desde o início, outras apenas quando já existe uma estrutura de Segurança da Informação bem definida.

Como você deve imaginar, não é fácil controlar todos esses processos e informações. Afinal, estamos falando de processos pontuais e dinâmicos que não favorecem a rastreabilidade, definição de workflows e mesmo follow-ups da equipe sobre planos projetos. Muitas equipes tentam realizar um gerenciamento manual ou utilizando planilhas como controle, o que permite um grande número de falhas e falta de rastreabilidade. Por isso, a melhor solução para gerenciar seu projeto é utilizar uma plataforma de gestão integrada de Segurança da Informação e conformidade como o GAT Core

Por meio de integrações nativas, é possível importar informações vindas das principais ferramentas de varredura disponíveis no mercado, garantindo consistência, integração e orquestração eficiente de dados, com métricas de evolução, economia de tempo e precisão.

Por meio de integrações nativas, é possível importar informações vindas das principais ferramentas de varredura disponíveis no mercado, garantindo consistência, integração e orquestração eficiente de dados, com métricas de evolução, economia de tempo e precisão. O GAT Core possui integrações com as principais ferramentas de Segurança da Informação no mercado, tais como BugHuntTenable NessusTenable.ioBurp SuiteQualysOpenVASInsightVMArachniHave I Been Pwned?Jira Service Desk e o GAT Security Score, entre tantas outras que podem ser integradas com a plataforma por meio da arquitetura de API aberta (OAS – OpenAPI Specification), sendo uma excelente opção para a centralização de dados e gestão de Segurança da Informação.

Você também pode curtir isso:

Av. Angélica, 2582 – 2° Andar
Bela Vista – São Paulo/SP
CEP 01228-200
+55 (11) 4395-1322
contato@gatinfosec.com

Siga-Nos